domingo, 13 de julho de 2014

Decisão difícil

Não sei se gosto de olhar para trás.
Não quero me prender a lembranças
O tempo passa tão rápido
E esses tempos idos e perdidos num passado distante
Não faz o mundo girar
Saudades talvez, mas não a ponto de ser saudosista.
É difícil decidir entre seguir em frente ou se perder na estrada
Essa ciranda maluca da vida
Pela qual passamos apenas uma vez
Deve ser tratada seriamente e ao mesmo tempo nada a sério
Ah, a efemeridade das coisas...
Encaremos logo os inícios, os meios e os fins.