segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Um pouco de tudo, tudo de nada

Meus livros estão empilhados no canto da estante, esperando para que eu os leia. Do outro lado, várias anotações do que eu deveria resolver, mas que continuava na mesma desde quando? Já não sabia mais quando havia tido aquelas ideias sem sentido. Outros tantos recados, cartas para ler, segredos que não quis contar. Esse tédio que me sufoca e essa rotina chata e que não levava a lugar algum. Olho para o relógio e procuro pensar que logo irá chegar a hora da partida, sem olhar para trás. Ah, como queria partir para novos ares, novos horizontes. Mas preciso ter calma, agir como jogador de cartas, sem demonstrar a tempestade que está por vir. Volto meus olhos para a estante de livros. Será que essa mudança poderia começar agora? Meus pés travessos correm para a estante e pego o primeiro livro que está no topo da pilha. Os recados, os segredos e as cobranças esperariam mais um dia, ou dois. Sorrio e finalmente me sinto do jeito que sempre quis estar.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Sossego

Me rendo ao desejo e tiro os sapatos, ando pelo gramado de um lindo jardim, esqueço das horas e compromissos. Fecho os olhos, deixando os outros sentidos falarem por mim. Sinto o vento assanhando meus cabelos. Ouço lindos passarinhos fazendo sua orquestra alegre, assim como o sol em meu rosto, recarregando todas as minhas energias. O aroma das flores me seduz como um bolo em um fim de tarde. 
Deito na relva, deixando me levar pela sublime sensação de sossego, esvaziando a cabeça de todas as preocupações e colocando em seu lugar incentivo, solução e desembaraço. 
Não quero perder essa conexão maravilhosa que nos faz continuar, dando a chance de errar, amar, rir, fazer novas amizades e buscar a felicidade, que é o bem mais bonito que o ser humano possa ter. 

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Segredo

Sinto que estou no momento de ficar sozinha, encontrar aquele eu autêntico que ficou escondido a sete chaves dentro de mim. É outra pessoa, liberta da personalidade de boa menina, doce colega e exemplo de filha. Este persona canta, dança e não tem vergonha de usar batom vermelho; todos a veem graciosa e não conseguem desvendar seus segredos. Ela tem uma relação envolvente com a noite, quase um romance secreto. Ninguém sabe de onde ela vem, para onde ela vai ou se vai voltar; o mundo é pequeno perto de tantos anseios. De mochila nas costas, descobre um mundo novo. Se apaixona pelas sensações e percebe cada sentimento pairado no ar. 
Sozinha assim, percebo o quanto quero me desvendar e o tanto de coisas que me impedem de fazer isso. Abro os olhos, seco as lágrimas. Olho para o vazio do quarto e me despeço dessa pessoa que vive dentro de mim e que tanto quer se libertar. 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Memórias

O vento trazia a música que já estava esquecida na memória. Seria de um filme, seriado talvez? A melodia entrecortada pelos uivos de uma tempestade próxima aguçaram seus sentidos: precisava ir atrás das notas travessas que remetiam a lembranças de tempos fantásticos. Andou sem rumo até uma loja escondida entre os arranha-céus da metrópole. Era um misto de alegria e saudade. Suas paredes eram forradas de livros, discos e outros tipos de raridades culturais que estão disponíveis para download na internet.

No fundo daquele oásis um disco tocava em uma vitrola. Era simplesmente a melhor música do mundo. Tratava de um casal que sofria um bocado para ficarem juntos, mas que nunca desistiram de seus objetivos. Deixou-se esparramar pela poltrona que havia ao lado, fechou os olhos e ficou ali parada, deixando o tempo passar. Quando a música finalmente chegou ao seu fim, não resistiu à tentação e comprou o disco, a vitrola e todos os pedaços perdidos de sua história. Talvez reencontrasse a garota escondida dentro de si, para enfim mostrar ao mundo quem realmente era.

sábado, 11 de abril de 2015

A pessoa que você não vê

Enquanto você me ignora,
Escrevo cartas de amor.
Enquanto você se importa com tão pouco,
Olhos sorriem e passos são dados sem demora.
Enquanto você me ignora,
Sonho acordada com um futuro incerto,
Ou procuro motivos para cantar.
Seus olhos estão focados em outra paisagem,
Que me recuso a participar.
Meu coração rebelde pulsa por aventuras
Trilhas sonoras para enfim caminhar.
Enquanto você acredita em um futuro de margarina,
Tenho ambições inaceitáveis para uma boa garota
E opiniões que você nem imagina
Enquanto você me ignora,
Um pássaro foge de suas mãos

E segue para bem longe de você.